sexta-feira, 12 de junho de 2015

12.06.2015

 

Vou fazer questão de sumir, vou fazer questão de te deixar falando sozinho, vou fazer questão de dar mais atenção aos outros que pra ti, vou deixar de dizer o que sinto,  vou imaginar minha vida com outras pessoas, vou fazer o ciume se tornar um monstro, vou fazer teu coração acelerar de medo, vou fazer teus olhos sangrarem de tanto que vais chorar, vou fazer tu perder noites de sono, vou debochar da sua cara, vou ser um ser inconsequente e irresponsável, vou ser alguem que a cada dia vais odiar e repudiar mais e mais, a cada passo, vou lhe tratar como tratas a mim...

sábado, 2 de maio de 2015

What happened to you?

 
 As vezes ( não. mentira. boa parte do meu tempo)  Eu fico pensando no modo como me comporto. Ou das coisas e situações que fiz e passei. Nesse caso, amizade.
Por que quando eu tive oportunidade eu não criei amigos?
Na escola, pior caso, parecia que eu era odiada por todos, que eu tinha que mostrar o que eu podia e ser de um modo diferente do que eu sou. 
Isso importa agora por que? Por que eu tenho que fazer as mesmas coisas hoje em dia.
Eu não gosto que meu namorado saia sem mim por que eu sei que ele faz algumas coisas que eu não aprovo. E aparentemente eu me torno uma pessoa ruim por afasta-lo dos amigos. O mais engraçado é que apesar de eu ter amigos, com eles não mantenho a amizade. E aparentemente estar perto dos amigos é melhor, e mais facil de ser alguém, ou fazer algo.
Agora, me pergunto as 02:47 de uma madrugada, e que no amanhecer eu precisarei ir trabalhar
Por que não fiz isso antes? Quantos lugares legais, e situações legais eu teria passado, 
Quantas situações ruins pela que passei poderiam ter sido aliviadas, em colos e ombros alheios?
Agora me pego pensando em, por que eu não me contento comigo mesma? Por que não ser eu uma amiga pra mim mesma? me  confortar, cuidar de mim, me acompanhar em minhas aventuras, e aliviar um pouco a tensão que estou passando. Me deixa chateada a forma que sou trocada as muitas vezes aliás. por amigos.
Mas antes de ficar chateado com isso, ficarei chateada com a forma como eu sempre tentei me encaixar, arrumando um espacinho pra poder me sentir melhor, Ser humano, sempre quer atenção, sempre precisa socializar, faz parte da natureza humana, e agora, devo eu me intrometer de novo dessa forma. fingindo ser algo que eu não sou, fazendo coisas pra agradar outras pessoas, pessoas que nem sei se valem a pena
' Mas os outros são sempre melhores, inclusive a companhia'
Seria eu chata, tediosa, ou algo ruim pras pessoas, ou simplesmente eu não tenho paciencia, nem saco pra isso?
Triste, muito triste, ser trocada inumeras vezes por outras pessoas. Não só em relação a namorados, mas também em relação a falsos amigos, falsas amizades.
  Acho que vou trocar as pessoas também. Vou começar a apreciar a minha propria companhia, e a cultivar amigos.

terça-feira, 14 de abril de 2015

Dos maiores, um médio.


 

Shelley, que saudade de ver tuas fotos e pensar que eu podia ter um pouco do teu jeito meigo, hahahah. A gente se engana muito.  Ainda acompanho tua vida e a dos teus amigos de Stockholm
Lembro bem dessa fase, tão obscura, em meio ao ódio e a vontade de ser aceita. eu me rendi a elas
Ana e Mia.  Quantos grupos no msn eu criei pra conversar com  algumas pessoas, e quão envergonhada eu ficava com tudo isso depois de me olhar no espelho e ver que eu havia fracassado de novo e  estava me jogando num buraco sem fim.  Algumas pessoas acham horrível se expôr, mas eu não, eu quero tirar muito do que eu era pra ser outra pessoa.
Eu comecei a parar de comer, a só comer quando me obrigavam a comer por perto e no caso a obrigação era algo que não era imposto, era o momento em que eu tinha que disfarçar bem, muito bem o que havia dentro da minha mente, que estava em desespero. As coisas aqui não iam bem. 
Quando elas ja estiveram mesmo? 
Até que eu comecei a vomitar, poucas vezes, mas na minha mente, o alivio de " agora meu estomago vai começar a arder e queimar gordura" era uma coisa ótima. 1 mês e lá se foram 12 kilos.

 
 Devia ter uns 14/ 15 anos, e as coisas foram melhorando e piorando, melhorando e piorando. Quando foi que eu comi a ultima vez mesmo? Eu nem me lembrava, eu tinha tanta coisa pra fazer, pra ler, até que um dia, meu organismo rejeitou comida, e de novo e de novo, não sei como não fiquei com gastrite, por sorte...  Eu via tudo em tumblrs, em sites, até ver o thinspiration pictures e acompanhar aquilo desde 2009 até 2013 quando por fim a dona abandonou o blog, e eu espero que ela esteja bem, e viva.
Não acho que querer emagrecer seja algo ruim. Só acho que as coisas que pensei sobre mim e sobre meu corpo, pioraram ainda mais a autoestima que hoje em dia eu to lutando pra aumentar, Quando foi que eu comecei a me odiar tanto? Quando foi que em meio a tanta perturbação e odio sobre mim, eu mesma que devia me defender, comecei a me atacar? 


 E em um desses tumblrs eu vi a Shelley Mulshine, que a proposito nunca mais se manteve num blog, e eu ainda tenho suas fotos, em algum lugar... 
Dj, blogueira e amante da moda, sueca, e não gostava da perseguição sobre seu corpo. Engraçado que esse meu surto de thinspo acabou por um tempo e eu continuei olhando tua vida, até hoje.
Algumas coisas mudaram sobre o meu modo de pensar , sobre meu modo de enxergar meu proprio corpo. Ainda tem algum restinho aqui, mas ainda bem que o pior ja passou.


NF, LF, LC deixei isso de lado, mas sempre estará em mim. 

"I don’t want to be your thinspiration"

I am sooooooo ridiculously tired of finding myself (my photos, my videos, my name) on all of these pro-ana blogs, pro-ana tumblrs, pro-ana websites, in pro-ana videos, etc. I am even more tired of getting e-mails and comments and questions on my formspring about “how to be as skinny as I am” and “how to lose weight“, etc.
You have no idea how many of these comments and questions and e-mails I get per week. It’s ridiculous.

I was born the way I am. I don’t have to starve myself to obtain my low weight. I probably eat more than most of my friends and I don’t eat healthy nor exercise at all. It’s called high metabolism. I’ve always been skinny, and in my early teens I hated my body because of it, but with time I accepted that this is who I am and learned to love my body just like it is. How would I know how to lose weight? I’ve never been on a diet nor lost a single kilo in my life.
“Thinspo”-blogs/tumblrs make me sick. I literally feel sick to my stomach every time I stumble upon one. Why are some people so obsessed with becoming really skinny? Being skinny won’t solve your problems. I also doubt it will make you happier. Once you’ve obtained your “goal weight”, then what? Do you think people will like you more? Seriously, think about it. You don’t prefer your skinny friends over your normal-weight or over-weight one’s, do you? (If you do, you’re obviously a shallow bitch who deserves to starve!!!! Kidding, no one deserves to starve. Anorexia nervosa is a serious mental illness.)


segunda-feira, 30 de março de 2015

Procrastination

 
8 anos em 1, parece que é isso que eu quero fazer, ou pelo menos planejo.
Ja perdi tanto tempo ( exatos 8 anos) 
com bobagens inuteis, e tentando convencer os outros que minha companhia também seria boa.
Tudo o que eu mais gostava naquela época e ainda gosto hoje em dia, veio dessa época, 13 anos, e eu  ainda sou aquela coisa de antes. Idiota,meio timida, mas cheia de criatividade, e ta na hora de botar isso pra fora. Tanto a criatividade quanto a coragem
Essa mania de deixar as coisas pra depois, só me atrapalhou. A mania de deixar a opinião alheia ter um espaço bom dentro da minha vida.  Detestável essa coisa de se olhar no espelho e ver os 21 anos mais mal gastos de todos os tempos. Ok, das vezes que eu fugi de casa, ou das vezes que fui pra casa daquele cara e ouvia os cds mais amados pelo falecido pai,  e a gente comentava enquanto trepava das vezes que eu fui pra USP pra conhecer a vida, e todo esse fingimento de eu estou vivendo "uhul"
Mas na verdade, eu estou aqui, sensível, chorona, e pensativa.
Autosabotagem. isso é o que eu venho fazendo nesses oito anos. Insegurança, tão grande, que quando eu vejo que estou sendo boa numa coisa, eu procuro mil defeitos pra colocar em minha cabeça que não, eu falhei, falhei e falhei. Não que eu faça tudo com perfeição, o problema na verdade é que eu faço as coisas bem, se recebo criticas ok, mas também costumo receber bastante elogios e não consigo lidar com o fato e simplesmente dizer obrigado! Mas isso há de passar...
Agora eu posso abrir essa ferida mal cicatrizada no meu coração e expor pra conseguir lidar.  Quantas vezes eu ouvi que eu era um lixo, que eu não merecia nada, que nada do que eu fazia era bom? 
Hoje em dia as pessoas dizem que isso chama "RECALQUE, INVEJA ( HAHA) mas naquela época eu acreditava piamente que eu era um lixo. Cada coisa que falavam de mim, eu acreditava que era.  E quando você escuta isso todo dia, várias vezes, você começa a acreditar nisso, e isso vira uma parte de você, e por vezes muito grande. Me olho no espelho e me envergonho as vezes das coisas que eu falei, das vezes que fingi não ser eu, da minha falta de coragem, e de sempre achar uma desculpa pra não fazer tal coisa. E acho que nesse momento estou usando a minha pressão alta como valvula de escape pra isso acontecer de novo. 
O que ta acontecendo comigo? Eu acordei finalmente e to tomando vergonha na cara.  E quantas pessoas por ai passam pelo mesmo? :(
Mais um mal do século.




sexta-feira, 6 de fevereiro de 2015

21

 
Holy shit.
Infância passada em solidão. Livros, musica classica, ah, Mozart, Beethoven, Lizst.  Apanhei tanto por nada que meus braços ainda não melhoraram. " estou cansada da sua fraqueza mental e física" 21. mas o meu braço quebrado foi aos 11.
Na infância aprendi a observar, uma coisa que me incomoda até hoje, nada escapa aos meus olhos, e a maioria me magoa pelo menos por agora.
A solidão foi compartilhada algumas boas vezes. Consegue achar alguém oposto a você, mas tão igual? Thanks Mitch. 
A vida me mostrou mais tarde que por mais que eu não estivesse perdendo nada, eu estava perdendo. Pequenas paixonites massacradas pela imbebilidade deles. Acreditava que eu era assexuada. Pois é, pois é. Perdi  tesão pela vida, pelos corpos delas. Naquela época, eu custava a acreditar que eu ia chorar por alguém um dia. cá estou eu. Isso me rende bons textos pra esse blog.
Pequenas decepções com o ser humano, a tentativa falha de socializar me fez ficar mais observadora. 
Não fode vida, eu sei que eu podia ter feito muito mais, ainda preciso perder aqueles kilos, estudar mais o meu inglês e o espanhol e logo menos o italiano.
Escola é o terror pra gente assim. Ainda bem que acabou e eu mal arrumei meu cabelo pra ir pra lá. 
Fabricio. Me mostrou que era preciso viver mesmo que de mentira.
As brigas com a progenitora não cessaram,mas eu me libertei disso. Acho que agora eu vou conseguir me libertar de muita coisa, afinal, ta na hora.
Interações sexuais, amorosas, musicais, aguçadas, fingidas, deliberadas.
Mente, Corpo, Alma
cilada.


sábado, 31 de janeiro de 2015

2009-2015


  

7 anos.
       Uma vida hein Mizzy? Engraçado que nesse tempo eu não consegui fazer nada, absolutamente nada do que eu queria fazer acredita? Enquanto você fez intercambio umas três vezes, melhorou seu inglês, ficou com vários caras, estudou nas melhores escolas e hoje  está  em outro curso de outra faculdade, da primeira desistiu, ninguém é perfeito assim né?
         Me lembro de quando eu estava começando a aprender o inglês, que eu consegui escrever "preciso ser igual a mizzy" em todos os lugares possíveis pra me lembrar que eu queria tudo o que você tinha, que você sempre foi o que eu quis ser.
       É  incrível como esse sentimento me persegue, sou tão insegura assim a ponto de nunca conseguir agir como eu mesma? Reconheço que eu sou uma mistura de coisas mas eu nunca consegui organizar nenhuma delas. Deletei meu outro blog, só mantenho a page  ( pra guardar fotos legais e bonitas ) e  esse eu mantenho pra manter a sanidade, sempre que preciso desabafar uso ele, e alguns amigos. O que eu quero dizer é que somente agora eu estou começando a manter o foco em mim, no que eu quero, ainda que eu queira perder uns 7 kilos. Mas eu comecei a manter o foco em mim,
estou tirando da minha vida coisas que não preciso mais. Como esse sentimento.
       Antes tarde do que nunca.
       Mas voltemos ao foco. Que eu nunca tive, estou tão brava comigo mesma, de nunca ter conseguido me impôr,e ter realizado tudo o que eu queria.
125, essas são as fotos que eu tenho de você, 125 imagens que eu carrego aqui comigo, 125 imagens de você, roupas, objetos, cds, musicas, mangás, cachorro, mãe e pai, e todo aquele conforto da sua casa. Olha só que maravilha, nem isso eu tenho ainda hoje, eu sei, as pessoas são diferentes, mas eu aqui no fundo, ainda quero ter o que você tem, principalmente essa vontade e coragem de viver.




domingo, 25 de janeiro de 2015

chills

 
Esse é um pedido de socorro.
Daqueles em silencio.
refletido em lagrimas e cortes nos pulsos.
de olhares perdidos e sonhos desperdiçados.
Um pedido, perdido.
Daqueles sem saída. 
com flores de despedida.
com manhãs sem sentido e noites mal dormidas.
Carregadas de lembranças inuteis
de raiva por ser incapaz de salvar alguém do fim eminente.
Da falta de sonho,inerte nessa alma.
Aqui jaz o sopro de vida que restava nesse corpo.
Aqui jaz os amigos que protegem o vicio e oferece a paz que tanto procura.
Esses serão os motivos de eu estar voltando pro psicologo.
Quando meu corpo se afundar nele mesmo.
e só restar consciencia, os calafrios estarão ali pra me lembrar
que o fim acontecerá logo.


ouça : Letter to Mandy by:  lotusflowerdeathstar.bandcamp.com/track/letter-to-mandy



domingo, 11 de janeiro de 2015

enjoy the silence



é pedir demais, 
um pouco de paz, 
de silencio,
de calma, 

de pausa...
SHHHHHHHHHHHHHHHHHHH.